Sim existem. Uma delas é a diminuição dos riscos tributários e judiciais. Na pessoa física todo e qualquer risco incorre diretamente sobre a própria pessoa física, sem qualquer filtro de proteção, sendo que na pessoa jurídica seria necessário descaracterizar a personalidade jurídica para que o sócio seja responsabilizado.
Há de se considerar que os médicos são pessoalmente responsáveis diante do Conselho Regional de Medicina com relação ao exercício de suas atividades profissionais.