Todas as igrejas, sem exceção, estão obrigadas a manter a contabilidade completa de suas operações, pois sem a contabilidade não terão como atender a legislação fiscal quanto à entrega da Declaração do Imposto de Renda, que desde 1º de janeiro de 2014 passou a ser EFD (Escrituração Fiscal Digital), e quanto à entrega da ECD (Escrituração Contábil Digital), ficando, portanto, sujeitas a penalidades fiscais e até à perda do direito de imunidade.

Fora que em 2018 as igrejas serão obrigadas a aderir ao E-Social.